Pesquise aqui :

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

(((A estátua e a estrela)))

A estátua e a estrela

Me sinto como uma estátua de pedra, com os pés cravados na terra
Já sinto o gelo se formando na ponta de minhas asas
Vejo uma luz forte cortando o céu azul profundo, vindo em minha direção
Ela toca a ponta de minha auréola transformando pedra em vida
Meus pés que outrora quase se enraizaram naquele lugar se desprendem do solo
Ganho o ar como um pássaro que acabara de aprender a voar
Em pouco tempo alcanço as nuvens e as atravesso quase sem perceber
Vejo minha sombra nas nuvens, sumindo e aparecendo nos buracos no céu
Uma força me leva a voar mais alto e mais rápido
Passo pela lua quase sem percebê-la
Minha velocidade agora é incalculável
Me transformei em uma enorme bola de luz expandindo raios cada vez mais longe
Da terra sou como uma estrela grande no céu negro cravejado de brilhantes
Talvez eu volte a ser estátua (talvez)
Mas por enquanto, prefiro estar...
Vôaaaannnnnnnnnnnnddo...

Autor: Deco

5 comentários:

joaquim disse...

Essa poesia faz parte da minha vida,em posição de lótus,deixo a consciência vagar,energizando os chácras,recarrego de luz as energias obscuras e recomeço a caminhada. Agradeço-lhe por traduzir tais sentimentos. Um abraço!

francoemblog disse...

É um SUPERHOMEM ESTE CARA! uahsuahs


é isso, ah se voassemos.


boa semana e Abrahh

Sandra F. disse...

Lindíssimo esse poema. Adorei.
Abração.

LL disse...

Muito bonito o teu poema.

Abraços
Luísa

FrancK LavD disse...

Olá amigo,

Obrigado por visitar o meu blogue e pelo gentil comentário.

O seu poema é muito profundo, bem elaborado, está lindo!...
Continue a escrever poesia, passando os seus sentimentos para o papel.

A poesia é a expressão artística dos sentimentos muito apurados que o poeta tem.

Grande abraço,
FrancK